19 de abril de 2017

Ainda estou aqui

Trabalhos finais de faculdade, preocupações com o TCC e responsabilidades no estágio. Pronto, comecei este texto apontando os três culpados por eu não estar escrevendo mais tanto por aqui. Chego tão exausta em casa alguns dias que só penso em terminar minhas últimas obrigações e cair na cama, sem tempo nem pra pensar no que aconteceu durante o dia. Durmo direto. Graças a Deus, insônia não é comigo. 

Mas quero me organizar novamente pra continuar a escrever pelo menos três vezes por semana no meu cantinho. Faço isso por mim, antes de mais nada, e por quem veio me perguntar porque eu parei de postar nesses dias que passaram. Quero continuar canalizando neste espaço energias positivas para que qualquer pessoa que passe por aqui sinta-se pelo menos um pouco mais leve e motivada a seguir em frente. Quero continuar me dedicando a uma das minhas grandes paixões, pois ainda tenho MUITO o que aprender. Quero escrever. 

Basicamente, este é um post sem muito conteúdo definido, apenas para lembrar o Reino das Palavras que eu ainda estou aqui. Nossa história de dois anos e alguns meses ainda tem muitos capítulos pela frente e não é porque estou um pouco atolada nestas últimas semanas que deixei-o completamente de lado. Jamais. 

Na sexta-feira, vou viajar com algumas amigas e espairecer a cabeça. Volto com muitas inspirações, ideias e, claro, textos e crônicas (ou "pseudocrônicas", pois ainda estou tentando). Aguardem. 

Enquanto isso, não se esqueçam:

10 de abril de 2017

Resenha do livro: Depois de Você


Autor:
Jojo Moyes
Número de páginas: 318
Ano de lançamento: 2016
Editora: Intrínseca
Classificação pessoal: 3,5/5

Depois de todo aquele meu romance com "Como eu era antes de você" (que eu contei neste post aqui), não podia deixar de ler a continuação e descobrir o que Louisa Clark fez com sua vida após a morte de Will. Escolhi este livro para a minha leitura do mês de março e trouxe para vocês a minha opinião. 
"Não pense muito em mim. Apenas viva bem. Apenas viva." Esta foi a mensagem que Will deixou antes de partir deste mundo. Decidida a seguir o que ele queria, Louisa pegou o dinheiro que ficou para ela como herança e viaja em busca de novas aventuras. Porém, alguns meses depois, aluga um pequeno e sem graça apartamento em Londres e começa a trabalhar em um bar de aeroporto, estabelecendo uma nova zona de conforto, com a única diferença de não estar mais morando com seus pais. Também contra o desejo de seu perdido amor, ela pensa constantemente nele e na decisão que tomou de respeitar seu desejo. 
Mas claro que as coisas não ficariam por isso mesmo. Uma sequência de fatos e uma pessoa em especial aparecem para tirar Lou de sua vida repetitiva e mostrar que nem tudo está acabado. 
Algumas considerações negativas: eu também não segui o conselho de Will e pensei bastante nele durante a leitura. Sentimos, sim, a falta de seus comentários, do seu charme e da sua presença marcante. Além disso, depois de tudo o que aconteceu, não consegui não deixar de sentir uma certa irritação pelo fato da Louisa não pensar nem um pouco nela, apenas em outras pessoas. Em certos pontos, concordo com Treena, sua irmã mais velha que passa a história todo criticando suas escolhas. No mais, o que posso dizer sem dar spoilers é que existe um certo envolvimento amoroso que, na minha opinião, aconteceu rápido demais. 
Agora, vamos aos elogios. Antes de mais nada, quando você lê a orelha do livro, jamais imagina que o que vai mudar a vida de Louisa é algo muito diferente do esperado. As frases inteligentes e engraçadas (que, eu acredito, são características da escritora) também nos arrancam risos e o enredo tem muitas ações e poucas descrições, o que o torna mais rápido e fácil de ler. Tentando suprir a falta de Will, Jojo Moyes me deu o doce Sam e a inconstante Lily, cada um, a sua maneira, recheando a vida de Lou e a história. Quem eles são e o que eles fazem, obviamente, não contarei.
Claro que não é tão tocante quanto o primeiro. Mas eu recomendo do mesmo jeito, pois, entre outros ensinamentos, este livro me mostrou como é, sim, possível seguir em frente mesmo sem a pessoa que amamos, já que existem muitas outras que precisam de nós e do nosso carinho. 
28 de março de 2017

Pensamento solto de terça-feira


Queria compartilhar neste pensamento solto de hoje um conselho sobre o que fazer quando te faltam forças pra seguir em frente em uma situação que você não aguenta mais. Olhe pra trás. Isso mesmo. Resgate na sua memória o começo de tudo e lembre-se de como você não imaginava que seria assim tão difícil. Passe por todos os momentos que mais te doeram nesta trajetória. Durante este ato de relembrar, tenha em mente uma única coisa: você SUPEROU. Afinal, está aqui agora, não está? Vivinho(a) da silva. Cansado(a), talvez, e de saco cheio, com certeza. Mas firme e forte. 

A mesma pessoa que passou por tudo aquilo que você acabou de lembrar é esta que agora vai conseguir, sim, seguir em frente. Apoie-se no que for que te restou, respire fundo (bem fundo mesmo, encha seus pulmões de ar e solte lentamente) e lembre-se de não colocar o carro na frente dos bois. A chave é aquela história de dar um passinho de cada vez. 

Boa sorte. 
25 de março de 2017

Music's News #4


O resumo semanal vai ser mais curtinho desta vez, mas mesmo assim com destaques bem legais! Olha só:


1. Nugget é muito amor
O cachorrinho marrom da Katy Perry é todo mimado por ela! Nesta semana, a cantora postou vídeos no Insta stories do baby com este chapeuzinho de gueixa (que ele tirou bem rápido) e da nova casinha que ele ganhou, em formato de carro e toda personalizada. Fala se não dá vontade de morder?


2. Simple Plan unindo amizades
O cantor Pierre Bouvier também usou o Insta stories pra divulgar bem rápido a história destas duas meninas que se conheceram há 15 anos em um show do Simple Plan e são melhores amigas desde então! Agora, participaram de um show da turnê de aniversário do álbum "No Pads, no helmets... Just Balls". Não é por menos que eu sou apaixonada por esta banda que promove uniões ao mesmo tempo em que se mantém unida por tanto tempo. 
3. Demi de cabelo curtinho
Se tem uma coisa que a Demi não consegue é ficar sem mexer no cabelo por muito tempo! Depois de adotar os fios longos durante alguns meses, a cantora apareceu novamente com eles cortados. Particularmente, eu acho que ela fica linda de qualquer jeito, mas meu estilo preferido ainda é seu cabelo comprido e preto. 

24 de março de 2017

Liberte-se


As coisas acontecem mais ou menos assim: Deus coloca algo na sua vida (pessoas, trabalhos, projetos) porque, naquele momento, ele fará sentido e será importante. Só que a gente não tem como saber se isto ficará somente durante um período ou se será pra sempre. A gente só recebe e vai curtindo enquanto pode.


Só que aí este algo começa a parar de fazer sentido. A amizade não é mais tão boa assim, o trabalho já não realiza e o projeto parece que não vai levar para mais nenhum rumo. Deus começa a dar os primeiros sinais de que o tempo disto na nossa vida está acabando. É hora de deixa-lo ir. 

Mas o que fazemos com o apego? O carinho que desenvolvemos pelas pessoas, mesmo que elas não nos façam mais tão bem, a segurança de estar empregado em um lugar que já se conhece a rotina, a vontade de tentar fazer com que a ideia que tivemos tenha algum desdobramento diferente. Estes motivos não nos deixam desistir assim, tão facilmente. A gente se segura um pouco mais em algo que já não nos pertence. A consequência? Mágoas. Desmotivação. Frustrações. Um acúmulo de sentimentos negativos que vão nos consumindo aos poucos.Tudo porque continuamos achando que precisamos deste algo. Que, sem ele, a nossa jornada será mais difícil. 

Só que Deus faz as coisas certas. Se Ele está mostrando que não vale mais a pena se segurar ao que não faz mais sentido, então é porque é hora de praticar o famigerado desapego. E quando a gente finalmente entende isso, acende uma luzinha na nossa cabeça e vem a pergunta: por que eu estou investindo tempo e saúde psicológica em algo que não me traz nenhum retorno positivo? É o momento do "chega". Libertador. 

Não dá pra mentir e falar que desapegar não dói. Dói sim, afinal, aquelas pessoas, aquele trabalho e/ou aquele projeto foram importantes pra você. Só que agora não são mais, e é complicado deixar as lembranças para trás e levar apenas os ensinamentos destas experiências. 

Mas dá pra afirmar com a maior certeza do mundo: poucas coisas na vida dão tanto alívio quanto se livrar de algo que vem te machucando há muito tempo. É como parar de carregar um peso que já não serve para mais nada. Então deixe ir. Não tenha medo. Liberte-se. 
23 de março de 2017

Resenha do filme: A Bela e a Fera


Antes de mais nada, preciso dizer que este filme sempre foi um dos meus favoritos e esta princesa, a que eu mais me identifico. Quando soube que a Disney iria lançar uma versão
live-action com ninguém menos do que Emma Watson no papel principal, meu coração ficou muito mais feliz... E ansioso, claro. 

Até o dia do lançamento foram divulgados diferentes trailers e pequenas partes do filme para aumentar a curiosidade dos fãs. Eu devo ter visto todos umas mil vezes, sem brincadeira. Via e revia só pelo simples prazer de já ter uma pequena parte desta produção comigo. 

Sábado passado, fui finalmente assisti-lo. Depois, fui uma segunda vez no domingo. E aqui estão as minhas opiniões sobre este que, sem nenhuma dúvida, entrará para a lista de filmes que eu vou assistir várias e várias vezes. 

Diretor: Bill Condon
Elenco: Emma Watson, Dan Stevens, Luke Evans, Josh Gad
Duração: 2h10min
Classificação pessoal: 5/5


Acho que o enredo é bem claro para todo mundo, mas de qualquer forma, ele gira em torno de uma jovem que mora em uma pequena aldeia na França com seu pai. Apesar de ter uma vida tranquila e pacata, Bela sonha em ver o mundo e encontrar uma pessoa que a compreenda e viva as aventuras do seu lado. Até que um dia seu pai, a caminho de uma outra cidade, é preso ao tentar colher uma rosa do jardim de uma criatura que vive em um palácio abandonado e com objetos falantes. Bela assume o seu lugar como prisioneira e, aos poucos, descobre a história daquele lugar e daquelas pessoas que foram amaldiçoadas por uma feiticeira. A Fera era, na verdade, um príncipe maldoso e egoísta, que deveria aprender a amar e ser amado antes da última pétala de uma rosa cair para se liberar do feitiço. 

Vamos a minha primeira consideração: não, este filme não é igual a versão mais popular em desenho animado. Ambas as produções podem ter as mesmas músicas e até mesmo falas parecidas, porém nesta nova produção é contada a história da mãe da Bela e da família da Fera, os criados do palácio começam a virar cada vez mais objetos conforme as pétalas da rosa caem, LeFou (fiel companheiro do vilão Gaston) se mostra um personagem diferente do que imaginávamos, existem músicas inéditas e Bela é uma inventora e mais forte do que sua antiga versão. 

Começando pela minha princesa favorita. Emma lhe deu toda a determinação, coragem e delicadeza que eu esperava dela. Luke Evans criou o perfeito charmoso e malvado Gaston e Josh Gad ficou responsável por dar o clima mais leve ao filme com as frases engraçadas e inteligentes de LeFou e seu jeito característico de gays. A animação da Fera é extremamente bem feita, principalmente os olhos, que refletem suas emoções de uma forma que nenhuma outra parte do seu rosto consegue e revela o príncipe preso dentro daquele corpo. Os cenários e figurinos são lindos e apropriados para a época. As músicas são um dos pontos mais fortes, pois foram interpretadas de uma forma animada e/ou romântica e, pessoalmente, aprovei cem por cento a escolha de mante-las igual do filme anterior. 

E a cena do baile, a mais famosa de todas, é estonteante. A música, as imagens, a dança, tudo conspira pra criar a sensação de que poderíamos ficar assistindo tudo aquilo para sempre. 

Porém, não posso dizer que este filme escapou de defeitos. Como tudo na vida, existem pontos negativos. O pior deles, na minha opinião, foi quando Bela volta pra aldeia depois de ser liberta para ajudar seu pai. No filme animado, conseguimos perceber pela forma como ela se despede de Fera e segura o espelho ao mostrar a imagem dele para os aldeões que está apaixonada. Emma não deixou este carinho claro e quando ela finalmente se declara, parece algo muito, digamos, "do nada". Também faltou mais emoção em uma das frases que eu mais amo neste filme: "Ele não é um monstro, Gaston. Você é!".

No mais, os personagens denunciam os poucos dias em que se passa a história, o que prejudica a criação do amor entre Bela e Fera já que é muito fora da realidade duas pessoas se apaixonarem em tão pouco tempo (considerando que uma delas é, vocês sabem, diferente demais). Também senti falta do príncipe: gostaria que falasse e aparecesse um pouco mais. Ele surge apenas no final do filme, como deve ser, mas justo quando deveria ser o seu momento dançando com a Bela e confirmando o seu amor, a produção divide a cena com personagens que já cansamos de ver. 

Nenhum destes pontos, porém, foi capaz de diminuir minha admiração pelo resultado. É apaixonante, emocionante e nos ensina, mais uma vez, como o amor, a compreensão e a gentileza são capazes de mudar o mundo das pessoas e quebrar qualquer maldição. Até mesmo aquelas que nós criamos para nós mesmos. 
18 de março de 2017

Music's News #3


1. Demi verde + 
Kid's Choice Award 2017:
No sábado (11), aconteceu a premiação KCA 2017. Apesar de não ter ganho em nenhuma categoria, Demi levou um banho da famosa gosma verde ao subir ao palco para apresentar um dos prêmios. Logo depois, ela postou no Snap um vídeo tentando se limpar da bagunça. Mesmo assim ficou linda!

Alguns destaques da premiação (leia-se: prêmios que eu amei):
1) Ator de filme favorito: Chris Hemsworth
2) Filme animado favorito: Procurando Dory
3) Voz de filme animado favorita: Ellen DeGeneres (voz da Dory <3)
4) Video game favorito: Just Dance 2017
5) Squad favorito: Procurando Dory
6) Cantor favorito: Shawn Mendes
7) Cantora favorita: Selena Gomez (RAINHA)


2. Kevin melhor papi:
Por mais que esteja afastado da indústria da música por um tempo, Kevin Jonas (da antiga banda Jonas Brothers) continua sendo um amorzinho e merece um espaço aqui. Recentemente, sua esposa Danielle postou no Insta Stories um vídeo dele dançando com sua filha mais velha, Alena (que, diga-se de passagem, é a cara dele!). Muita fofura envolvida! 

3. Edinho em Game Of Thrones:
Um dos meus cantores preferidos participando de uma das minhas séries favoritas? É demais pro meu coração de fã <3 O ruivinho fará uma participação especial na 7a temporada, que estreia dia 16 de julho. O anúncio foi feito pelo produtor David Benioff no domingo (12) durante um painel no festival de cultura pop South by Southwest, no Texas (EUA). Segundo o executivo, faziam anos que tentava levar Ed à série para fazer uma surpresa pra Maisie Williams (Arya Stark). Agora vai rolar! 

4. Green Day no Brasil (FINALMENTE):
Foi anunciado na segunda-feira (13) que o Green Day virá para o Brasil no segundo semestre de 2017 e euzinha aqui, que morre de amores por eles há anos, quase teve um infarto!!! A banda já havia prometido que viria para cá para promover o álbum ˜Revolution Radio", e promessa é divida né?! A previsão é que o trio desembarque em novembro, mas nenhuma data foi anunciada ainda. 


5. Entrevista Selena Gomez para Vogue Norte-americana:
Se tem uma qualidade que eu admiro nesta mulher, entre todas que ela possuí, é a sua autenticidade. Selena não tem medo de mostrar quem ela é e muito menos sua vulnerabilidade. Nesta entrevista, ela fala sobre o período em que se afastou no mundo da música para tratar de problemas com ansiedade e depressão, ressaltando o quanto foi importante para ela passar um tempo em uma clínica psiquiátrica no Tennessee e desligar-se das redes sociais, como Instagram. De tudo o que foi divulgado, acho muito importante ressaltar a seguinte frase da cantora:
"Nós, meninas, somos ensinadas a ser resilientes demais, fortes, sexy, descontraídas... Nós também precisamos nos permitir sentir que estamos a desmoronar". 

É ok não estar ok. Estão vendo?