21 de agosto de 2015

Ausência honesta

Como discípula dessa mulher que descreve tão bem meus sentimentos, há tempos eu estava devendo um espacinho para ela aqui. E essa frase transmite exatamente a minha atitude quando estou naquele típico dia "não estou afim": fico na minha respeitável solidão. Não adianta tentar ser legal com os outros quando você não está legal nem com você mesmo(a). Por isso prefiro ficar quietinha, sem descontar em quem não tem nada a ver com o meu dia torto, sem abusar da minha momentânea falta de paciência. Isso porque raramente consigo fingir um sentimento, a menos que eu esteja chateada por uma coisa boba e prefira agir como se nada tivesse acontecido, ou quando acho necessário para um bem maior. São casos excepcionais. Na maioria das vezes, você consegue ler direitinho nos meus olhos o que estou sentindo. Então, se eu estiver meio estressada e preferir ficar na minha, por favor, não exija muito de mim. Pode ficar perto, mas não espere nada além de educação. Afinal, todo mundo tem o direito de "não estar afim" às vezes, e eu sempre prefiro a ausência honesta do que a presença falsa. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário