5 de outubro de 2015

Desabafo de uma quase-adulta


Está se sentindo completamente perdido ultimamente? Então bate aqui. Tamo junto. 
Quem disse que virar adulto era fácil, senhores? Não é brincadeira não.
Tudo muda. De uma hora pra outra, v
ocê se vê em um mundo onde, se bobear um pouquinho que seja, as pessoas folgam em cima de você. Acha mesmo que elas vão fazer mais do que o necessário? Enganou-se. Se vira ai. 
Você acabou de entrar em um mundo em que você pode estar no meio de uma multidão, mas mesmo assim se sentir completamente sozinho, porque os outros estão preocupados com as suas próprias vidas, sem perceber que tudo seria muito mais fácil se todos se ajudassem. 
Até mesmo as pessoas que você ama e que estão na mesma fase mudam, ou porque encontraram outras prioridades, ou porque o peso do crescimento causou essa mudança, para melhor ou para (muito) pior. 
Começam a exigir de você uma independência que você nunca teve antes. E o medo e a angústia, como ficam? Engole e vá já dar conta de suas responsabilidades; só os ricos e os que não pretendem ser alguém na vida tem tempo para sofrer.
Você começa a ter cada vez mais coisas para fazer, mas quem disse que isso é suficiente para conseguir um emprego daqui a alguns anos? Tem sempre alguém melhor, mais esperto, mas talentoso, para roubar sua vaga. Olá, desespero. 
E quem disse que você vai encontrar alguém para desabafar tudo isso? Se encontrar uma pessoa, sinta-se no lucro. No máximo, aquele que se diz seu amigo vai te falar que "isso vai passar". Como vai passar, se nem começou direito?
Mas quer algo bom de tudo isso? Estamos todos no mesmo barco. Futuros adultos em um barco furado, em chamas e no meio de um mar bravo.
Mas eu não paro de remar. E você? 

2 comentários:

  1. É extremamente dessa forma que eu me sinto quando me deparo com certas situações desse mundo de adultos.
    Cara, eles são tão diferentes. A maioria é vazia, outros maus, alguns bons, mas nem tanto. É complexo e arriscado, é bom, mas nem sempre.
    No fim, a gente tem que fazer com que seja bom porque a realidade agora é essa.
    Sem dúvida nem um, nós seremos uma nova e revolucionária geração de adultos.
    Beijos, Ana ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amém Nay! Espero que nossa geração seja mesmo revolucionária! Beijos linda <3

      Excluir