19 de outubro de 2015

The little mermaid

"I must be a mermaid. I have no fear of depths and a great fear of shallow living." - Anais Nin (escritora francesa)

Desde pequena eu sou apaixonada pelos seres metade peixe, metade mulher. Antes, devia ser porque sempre gostei do filme "A Pequena Sereia" (o dia que eu parar com as minhas referências sobre a Disney, me internem) e dá ideia de viver no oceano. Porém, depois de coletar essa frase, entendi que a minha paixão tem origem em uma metáfora: eu sempre mergulhei bem fundo na vida, sem medo de ser feliz; medonho mesmo, para mim, é viver na superfície. 


Explico: eu sempre me entrego a tudo o que eu faço. Seja um relacionamento, uma amizade, uma tarefa, um compromisso, um trabalho. Gosto de fazer tudo bem feito, dar o meu melhor. Raras foram as vezes que eu não me propus a essa tarefa; normalmente, foram situações em que eu realmente não me importava muito. Porque tudo que eu amo tem a minha inteira e completa dedicação. Não sou a melhor aluna da faculdade, ou a melhor filha do mundo, nem a melhor amiga, a melhor namorada; mas faço o que está ao meu alcance, sem nunca me contentar com o mínimo. Se eu amo, amo mesmo. Mergulho de cabeça e fico nas profundezas. E morro de medo da superfície: aquelas pessoas que amam mais ou menos, que se dedicam mais ou menos, que não conseguem se entregar completamente a nada.  

É isso que eu espero para vocês nessa semana: que sempre encontrem coisas ou pessoas pelas quais vale a pena mergulhar, mesmo que isso possa machucar às vezes, quando vemos que nem o nosso melhor é o suficiente. Coragem. Vamos ser sereias de vez em quando. Ou sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário