29 de dezembro de 2015

Sebo Casarão: uma viagem no tempo

Comprar livros, assim como todas as outras coisas, ficou muito mais fácil com a internet. Você vai, escolhe o que quer e recebe na sua casa. Sem precisar sair, sem segredo. Já fiz isso diversas vezes. Mas, para mim, é como namorar uma pessoa só pelo mundo virtual: você não sente o toque dela, não sente o seu cheiro, não tem aquela presença tão mágica e especial. Não é suficiente. Por isso, essa amante de livros aqui ainda preza pela jornada que é ir até uma loja, pega-los, sentir seu cheiro, mostra-los para quem estiver com você, trocar informações sobre eles, deseja-los e só então leva-los para casa. É uma história de amor que a internet não substitui. 

Sebos sempre tiveram um diferencial ainda maior pra mim. Olhar todos aqueles livros e pensar em todos os romances que já viveram com outras pessoas até chegarem ali, agora esperando para viver uma nova história com você. É ainda mais emocionante. Por isso, hoje, decidi trazer a história de um dos maiores sebos da cidade de Campinas, lugar em que o passado e o presente se misturam junto com as histórias de cada um dos itens ali presentes.

Entrada do Sebo Casarão. Foto: Ana Luísa de Oliveira
O Sebo Casarão surgiu em 2006 através da Feira de Alfarrábios, realizada aos sábados na Praça da Matriz do Carmo, onde donos de sebos participavam vendendo seus livros em barracas. Com o tempo, essa feira evoluiu e começou a ter problemas de concorrência entre os feirantes. Além disso, as barracas começaram a prosperar muito. Assim, o aparecimento de um imóvel para locação, a 200 metros do local da Feira, motivou seis comerciantes a organizar uma cooperativa, para funcionamento como sebo, com espaço dividido em seis lojas distintas.

Livros para todos os gostos. Foto: Ana Luísa de Oliveira
O prédio é um sobrado antigo, que foi restaurado para o funcionamento da loja. “Graças a Deus a filosofia de quem veio para cá era restaurar, não reformar. Nós queríamos conservar esse prédio originalmente, e para a nossa sorte, ele entrou em processo de tombamento junto com a nossa mudança”, conta Alaerte Menuzzo, um dos sócios do Sebo Casarão. Mas logo no primeiro mês, dois dos seis comerciantes saíram da cooperativa. Ficaram quatro, e hoje, após o falecimento de um dos integrantes, são três sócios.
Alaerte Menuzzo, um dos sócios do Casarão. Foto: Ana Luísa de Oliveira 
O funcionamento do sebo como cooperativa em lojas separadas num mesmo ambiente mostrou-se inviável, porque dificultava a pesquisa do cliente, que tinha de percorrer estoques diferentes no mesmo prédio. Assim, os proprietários remanescentes resolveram unificar seus negócios. “Nós fomos armando um projeto de caixa único até que decidimos ter um sebo só com quatro donos. E juntar todo o estoque”, conta Gilberto Vieira de Almeida, outro sócio do Casarão. “Todo o dinheiro que entra é da pessoa jurídica, e nós temos nossos salários, independente da venda. O que sobra é para reformar, comprar itens. Tudo isso é muito bem controlado, e nunca tivemos problemas”, completa. 

Livros são os itens mais vendidos no sebo. Foto: Ana Luísa de Oliveira
Com isso, o estoque subiu. Hoje, o Sebo Casarão é uma das maiores lojas do gênero da Região Metropolitana de Campinas: conta com aproximadamente 50 mil livros (item de maior venda), 50 mil LPs (segundo item de maior venda), 10 mil CDS e 3 mil DVDs. E revistas em quadrinho, que foram para a loja ao lado porque não tinha espaço suficiente. No total, são 145 mil itens cadastrados. Além desse grande acervo, o Sebo Casarão preza pelo atendimento. “Nós temos o nosso acervo, mas se não temos um item, vamos localizar na Estante Virtual para o cliente comprar em outro local, para facilitar para ele”, conta Alaerte. E Gilberto completa: “O sebo tem essa prioridade em atender a pessoa, mesmo se não formos ter lucro”.  Também existe uma preocupação por parte dos sócios em se manter preços em conta e em atualizar constantemente seu estoque através da compra, sem descartar itens repetidos. “Hoje, via de regra, existe o descarte por baixa qualidade. Mas se um disco chega só com a capa ruim, é restaurado aqui na loja”, explica Alaerte.  

Discos e aparelhos também são vendidos na loja. Foto: Ana Luísa de Oliveira
Mas não só de passado vive o Sebo. O Casarão é cadastrado no site Estante Virtual, e é o que vende a maior quantidade de livros e revista, dentre os outros vinte sebos de Campinas que utilizam o site. Discos não são vendidos. “O livro é uma coisa fácil de vender na Estante. Se nós tentarmos fazer com discos, é difícil, porque a pessoa quer saber como eles estão, e o conceito de bom estado varia. Então, preferimos vender aqui, e se alguém tiver problema, nós trocamos”, conta Gilberto.

Os livros são organizados em ordem alfabética. Foto: Ana Luísa de Oliveira
Todos esses fatores, somado ao amplo conhecimento dos funcionários sobre livros, discos, CDs, DVDs e revistas, transforma o local em ponto de negócios e troca de informações, com grande presença de universitários e colecionadores de Campinas e região. A preocupação dos sócios é sempre inovar, tanto o estoque quanto a forma de vendas; porém, o prédio onde fica a loja é antigo de propósito, para conservar a característica de sebo. “Se você reformar, vai inibir a pessoa de entrar. Não é porque não queremos gastar, mas porque sebo tem que ter característica de sebo, tem que ser velho mesmo” afirma Gilberto. A mistura de livros antigos e novos é outro fator que dá ao Sebo Casarão a nomenclatura do título dessa matéria: verdadeiramente, uma viagem no tempo. 

O sebo possui uma mistura de livros muito antigos com livros novos. Foto: Ana Luísa de Oliveira
Ficou com vontade de conhecer? O Sebo Casarão está instalado na rua Sacramento n.174/190, esquina com a Rua Barreto Leme, no centro de Campinas.

Um comentário:

  1. Muito bom! Vale a pena a visita ao Casarão! Adorei o texto! Nelson Curti

    ResponderExcluir