22 de janeiro de 2016

Faça sua parte

"O mundo não é bom, mas você não precisa ser igual a ele."

Eu sempre acreditei que as frases mais simples revelam as verdades mais absolutas. Olhe só para essa: uma lição tão básica que a gente sempre se esquece.

O mundo está perdido, e disso todo mundo sabe e reclama. Mas o engraçado é que, quando se trata de fazer um esforço para melhorar nem que seja apenas o ambiente a nossa volta, ninguém topa. Todos vão na onda dos outros e se escondem por trás de várias desculpas: "eu faço isso porque todo mundo faz", "já fizeram comigo e eu me sinto no direito de fazer também", "fulano que começou", "não posso ser inocente e deixar isso passar, preciso me defender". 

Para essa última atitude, tenho a seguinte pergunta: desde quando evitar de espalhar maldade em um mundo que já está cheio disso é ser inocente? Desde quando ignorar uma atitude errada de alguém para evitar que isso tome proporções maiores significa que você não sabe se defender? E, se alguém foi injusto com você, por que disseminar mais injustiça sendo que você sabe o mal que isso te causou? Ser bom não é ser inocente, meus caros; todos nós perdemos nossa inocência há muito tempo. Ser bom é dar uma pontinha de esperança para o nosso mundo tão doente. 

E atitudes bondosas são tão raras que causam até espanto. Elogios, perguntar como está, como foi o dia, oferecer ajuda, carinho, conselho, tudo isso são gestos tão simples, mas que, quando praticados, podem gerar uma corrente do bem. Ou, pelo menos, melhoram um pouco o dia de quem pratica e de quem recebe. 

Mas e se eu de fato oferecer coisas boas às pessoas e elas só me devolverem maldade?Não as culpe, elas não estão acostumadas. Continue tentando, e quem sabe você não consegue ensina-las um caminho diferente? Faça sua parte. Pratique os gestos mencionados e construa um mundo melhor perto de você. Isso já basta, e garanto que vai fazer uma diferença gigante. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário