15 de janeiro de 2016

Momentos bons e ruins

“Sometimes you have to experience the bad, so that you can learn to appreciate the good thing that enter your life.” - @ILLUMINATI

Quem nunca desejou ser feliz para sempre? Eu já, várias vezes inclusive: sempre achei que a felicidade era um destino, um lugar que um dia eu conseguiria alcançar. Mas aos poucos a vida foi me ensinando duas coisas muito importantes: felicidade é uma maneira de viajar, não um destino; e, se só coisas boas acontecessem na nossa vida, a gente jamais conseguiria apreciá-las, pois não seriam tão preciosas. Hoje, a forma como eu encaro as coisas ruins que acontecem comigo (ou pelo menos tento encarar assim o máximo possível) é que elas me preparam para aproveitar ainda mais as coisas boas que logo logo vão acontecer. Quer algo melhor do que sentir aquele alívio no final de uma temporada de sofrimentos? É como sentir o sol tocar sua pele depois de vários dias só de chuva; ou mesmo sentir a chuva depois de vários dias de calor e tempo seco. Assim, os momentos bons e ruins tem seus papéis definidos na nossa vida: os primeiros são feitos para nos compensar e nos ensinar a nunca desistir, e os segundos são para nos tornar mais forte e nos proporcionar uma experiência muito melhor com os primeiros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário