15 de fevereiro de 2016

Aprenda a rir de você


Que eu sou uma pessoa totalmente desequilibrada eu sei desde que me conheço por gente. Falo muito rápido e às vezes me atrapalho nas palavras. Tremo que nem doida quando estou nervosa, e acabo deixando essa tremedeira estragar tudo. Quando fico brava, começo a falar todos os palavrões possíveis e imagináveis sozinha e em voz alta. Sou completamente desorientada, até mesmo em lugares e caminhos que eu já conheço. Enfim, acho que já deu pra ter uma noção da confusão que existe dentro desses 1 metro e 50 e pouco centímetros. Aí vocês se perguntam: como você consegue não sentir vergonha de tudo isso? E eu respondo: é que eu aprendi a rir de mim mesma. 

Garanto que poucas coisas são mais divertidas do que as suas próprias trapalhadas. Um dia, tinha uma entrevista marcada às 9h, e por me conhecer bem demais, saí uma hora e meia mais cedo, para o caso de eu me perder no caminho. Dito e feito: depois de quatro tentativas, finalmente cheguei ao meu destino. E, ao invés de brigar comigo mesma e com o meu jeito, eu ri sozinha no carro da minha completa desorientação. "Você não muda mesmo, Ana Luísa." (risos) Em outra situação, quando era mais nova, e graças a minha super visão de quatro graus de astigmatismo, confundi uma amiga minha com outra menina e comecei a conversar com ela, toda animada, durante um tempão, até eu perceber que era a pessoa errada. "Nossa, que vergonha, ela deve ter pensado que eu era completamente louca." (risos) Também estou tentando falar mais devagar, mas é difícil quando você é uma pessoa tão ansiosa e que se diverte tanto com a mistura de palavras que saem da sua boca. Acho que vou criar um dialeto próprio, e ensinar as pessoas a me entenderem. (mais risos)

Rio de mim o tempo todo: quando alguém me pega falando sozinha, quando lembro de situações extremamente constrangedoras que já passei, quando perco o equilíbrio do nada e quase caio sozinha, até mesmo das buzinas que levo uma vez ou outra no trânsito. Rio porque sei que eu serei assim pra sempre, só talvez com menos intensidade. Rio porque já sou muito dura comigo mesma em outras situações, e eu mereço uma folga. Mas, principalmente, rio porque tudo que torna a vida mais leve é bem-vindo. E eu prometo que, quando você aprender a fazer o mesmo, tudo ficará bem mais divertido. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário