4 de abril de 2016

O que eu queria mesmo dizer


Quantas vezes você estava desabafando com alguém e disse a seguinte frase: "a minha vontade era falar que..."? Na última semana, eu juro que disse isso mais de dez vezes. Porque várias situações eu queria muito ser sincera e dizer uma coisa. Mas não disse. 
E por quê? Porque a minha sinceridade iria custar caro. 

A verdade é que hoje as pessoas cobram sinceridade dos outros, mas não sabem lidar com ela. A gente afirma e defende que é melhor falar na cara do que pelas costas, mas se alguém realmente faz isso, nós nos ofendemos e ficamos magoados. Vai dizer que não? É difícil lidar com a realidade, e nós estamos cada vez mais viciados nas aparências e enganações. Infelizmente, pessoas que falam exatamente o que pensam estão virando uma espécie em extinção. 

Concordo que em algumas situações simplesmente não podemos ser sinceros. E outras, não precisamos. Não tem necessidade de falar pro seu amigo que a roupa dele está horrível quando isto não vai fazer nada além de magoa-lo. Ou opinar de forma negativa sobre algo que sua amiga gosta muito (falar, por exemplo, que a banda favorita dela é muito ruim). Pelo menos eu penso dessa maneira. Afinal, sinceridade deve ser algo libertador para nós sem que a consequência seja prejudicar o outro, ou você mesmo.

O jeito é ser cauteloso, colocar na balança e considerar se em cada ocasião vale a pena dizer a sua opinião ou o seu sentimento. Mas que dá vontade de sair por aí falando o que você realmente pensa sobre todo mundo, sem nenhum filtro ou preocupação... Ah, isso dá. 

Um comentário:

  1. Ana é exatamente isso, as pessoas não lidam bem com a sinceridade e as vezes acha que somos pessoas grossas por ser sinceras.
    Parabéns pelo texto.

    Beijos,

    Kawana
    www.nosfitness.blogspot.com

    ResponderExcluir