24 de junho de 2016

Aprendendo a conviver


Nesse último semestre que se passou, várias vezes passou pela minha cabeça se eu não deveria deixar Jornalismo de lado e me dedicar a outra profissão. Não porque eu não ame o que eu faço... Mas porque lidar com pessoas diariamente, e mais, depender delas para poder realizar minhas matérias, não é fácil. Porém, mesmo se eu for fazer Biologia ou Veterinária para mexer com animais, nem assim iria escapar do convivo com humanos. Uma vez que eu entendi isso, decidi ficar na profissão mesmo, que eu amo e me identifico. 

Da série "coisas que eu aprendi ao longo do meu processo de amadurecimento", vem a seguinte constatação: as pessoas são difíceis de diferentes maneiras, mas se você não conseguir lidar com os defeitos dos outros, não pode esperar que eles façam o mesmo com você. Claro, existem aqueles indivíduos cujas falhas são incompatíveis com o que nós consideramos suportável. Da mesma forma, você não é obrigado(a) a aceitar algumas atitudes que vem justificadas pela frase "eu sou assim". Porém, se você está procurando pessoas perfeitas, e que não exijam o mínimo da sua paciência, para conviver e trabalhar, aqui vai a notícia: você nunca vai encontrar. 

Sempre vão existir os chefes que exigem de mais, ou que ficam te vigiando pra ver se você está fazendo tudo, ou que não aceitam nenhuma sugestão sua. Os integrantes dos grupos da faculdade/escola que não fazem nada, ou que fazem tudo e reclamam que você não ajudou, ou que dão uma de professor e te cobram a sua parte o tempo todo. Os colegas de trabalho que querem puxar seu tapete, ou que não fazem nada e ainda assim ganham aumento, ou que te atrapalham a trabalhar. E por aí vai. A gente topa com diferentes tipos de pessoas difíceis o tempo todo, e aí que entra aquela tal da maturidade (lembram do meu texto sobre isso?) para nos ensinar a lidar com elas da melhor maneira possível. Afinal, garanto que os seus defeitos também exigem paciência de todos aqueles que sabem valorizar muito mais as suas qualidades, e por isso mesmo ainda estão do seu lado. Aprenda a fazer o mesmo com quem você PRECISA conviver. 

Aprenda a ignorar alguns comentários, sabe como responder a outros, não perder a paciência com certas atitudes, a respeitar as diferentes opiniões, mesmo que você não concorde. Afinal, a outra saída seria ficarmos desempregados ou sem nota na faculdade/escola. Ou mesmo nos isolarmos em uma ilha sem nenhum tipo de contato com os seres humanos. 

(O que às vezes dá vontade de fazer. Mas tome aquela dose de paciência diária e "bora" pra frente). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário