22 de junho de 2016

Meu romance com "Como eu era antes de você"


Como toda apaixonada por livros, tenho uma lista de títulos que pretendo ler. Recentemente, risquei aquele que estava nessa lista há muito mais tempo do que os outros. Um que fazia alguns anos que eu namorava nas prateleiras das diferentes lojas de livros, esperando o dia em que eu finalmente teria um tempo para concretizar nosso romance. Sempre que eu pensava em compra-lo, lembrava que tinha outros milhares me esperando em casa. Então deixava de lado. Sabia que o momento chegaria. 


Até que eu finalmente o ganhei de presente no meu aniversário desse ano. Quando eu peguei na minha mão, juro que por alguns momentos não acreditei que finalmente ele era meu. O próximo passo era acabar de ler alguns pendentes para então poder finalmente dar o tempo que ele merecia. 

E foi aí que descobri que o filme seria lançado em junho. Entrei em um mini desespero, pois corria o risco de ler spoilers nas redes sociais e nas conversas com o pessoal da faculdade, mas também porque eu PRECISAVA ler antes de ver o filme. Era uma questão de honra. 

Acabei de ler "1984" para a faculdade. Finalmente, tinha chegado a hora. "Como eu era antes de você", aí vou eu. 

Aproveitei o feriado do final do mês de maio. Fui viajar, e nada é mais propício para a leitura do que não ter internet disponível o tempo todo. Mergulhei de cabeça na história. Terminei mais rápido do que gostaria. Mas posso dizer: aproveitei cada segundo. O livro que eu namorei por tanto tempo era exatamente o que eu esperava que fosse.

Ri com as maluquices da Lou e com os comentários de Will. Senti uma dorzinha no coração toda vez que as dificuldades de um homem tetraplégico, antes tão ativo e que amava a vida, eram apresentadas de maneira tão clara. Agradeci a Deus por ter o movimento das minhas pernas e braços. Torci para que a Lou percebesse logo que o Patrick não era a pessoa certa e que o Will dava sinais de que gostava dela. E desejei com todas as minhas forças que o final fosse feliz... Mesmo sabendo que não era.

Chorei. Chorei quando Will disse para Lou que não iria mudar de ideia. Chorei porque ele era egoísta. Chorei pela vida que ele deixou de lado. Chorei pela dor que a Lou sentiu, algo que eu não sei se conseguiria suportar. Mas também chorei porque entendi os motivos dele. Depois de um tempo, eu o perdoei pela sua decisão. 

Ainda assim, quando fui assistir o filme no cinema, chorei sem parar. Me emocionei pelo enredo tão fiel ao livro, pelos atores que deram vida de forma tão perfeita aos personagens, pelas músicas do Edinho (sim, sou íntima do Ed Sheeran), pela história e pelo fim do meu relacionamento com, agora, um dos meus romances preferidos. Senti um vazio que só sinto quando acabo um livro que amei e me tocou tanto. E admito, até agora não consegui começar um novo. Ainda estou meio anestesiada. Não consigo abrir as páginas e saber que não encontrarei a Lou me esperando com suas roupas doidas, nem Will com todo seu mau-humor e charme. 

Uma história emocionante. Engraçada. Tocante. Sábia. E que me ensinou uma lição extremamente valiosa: "Você não pode mudar quem as pessoas são. Mas pode ama-las".

2 comentários:

  1. ahh o "Depois de você" é melhor ainda. MUuuuuuuuito bom. =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiii não li ainda! PRECISO, que um novo romance comece <3

      Excluir