23 de novembro de 2016

Um post para falar sobre: Animais Fantásticos e Onde Habitam

Isso não é apenas uma crítica de um filme. É uma história de amor com um universo mágico. 

Nossa história começou quando eu tinha 9 anos, em 2005. Foi quando eu li o primeiro livro, ou, como eu chamava, "meu primeiro livro sem figuras". Isso mesmo, foi meu primeiro desafio de ler todas aquelas letras sem nenhuma ajuda de ilustrações ou fotos. Mergulhei de cabeça, ansiosa para ver o que me esperava.

E o que me esperava era um universo que trouxe magia para a minha infância, valores e força para a minha adolescência e encanto e gratidão para a minha fase jovem adulta. Foram horas devorando os livros e, ao mesmo tempo, não querendo que eles acabassem; tardes e mais tardes assistindo os filmes e me imaginando dentro da história; meses esperando o lançamento do novo livro e do novo filme; e anos me apaixonando cada vez mais por todo esse mundo criado por uma mente brilhante chamada J.K. Rowling. 
11 anos depois de nosso primeiro encontro, lá fui eu voltar mais uma vez para meu universo amado. Mesmo sabendo que não iria encontrar meus velhos conhecidos, fui com o coração aberto para conhecer meu novos companheiros: Newt, Tina, Queenie e Jacob, o primeiro trouxa a me acompanhar nessa aventura.  
Eu já tinha meu exemplar do livro "Animais Fantásticos e Onde Habitam" porque, como toda boa fã, não me contentaria a comprar apenas os livros principais. É um livro pequeno, fino e com capa vermelha, que eu reli umas cinco vezes quando pequena para aprender mais sobre os animais que me fascinavam na história. Confesso que, quando soube que iam lançar um filme baseado nesse livro tão pequeno, não compreendi o que eles poderiam criar a partir dele. 

Nesse sábado, eu encontrei minha resposta: o que eles criaram foi uma história anterior ao nascimento do meu querido amigo Harry, em uma época onde Dumbledore ainda era professor de Hogwarts, Grindelwald era a maior ameaça do mundo bruxo e Newt, um mero apaixonado e protetor de criaturas mágicas que acaba tendo um papel muito importante na história bruxa. 

O resultado foi uma história envolvente, em que você fica o filme todo tentando descobrir quem é o responsável pelos acidentes horríveis que estão acontecendo em Nova Iorque e 
quais são as criaturas que Newt perdeu de sua maleta, assim como quais as consequências que elas vão trazer para a comunidade bruxa, que vive escondida; engraçado, graças a espontaneidade de Eddie Redmayne e as expressões, reações e comentários de Dan Fogler; e encantador por cada animal fantástico que aparece e rouba a cena.


Falando nos meus novos companheiros: Newt é excêntrico, divertido e doce como todo lufano. Redmayne mais uma vez nos encanta com sua atuação singular. Jacob reagiu melhor do que eu esperava a todas as informações sobre o mundo bruxo, mas nos mostra que os trouxas não são todos críticos e chatos quanto pensamos (imagem criada graças aos Dursley). Ele é leal e corajoso. Tina possui muitas expressões tristes, mas é encantadora e determinada a proteger o mundo que ama. E Queenie é simplesmente uma graça, se importa com todos e me apresentou a um novo tipo de bruxo, que consegue ler mentes. 

Fora as famosas características do universo Harry Potter (feitiços e termos), uma pequena menção a Dumbledore e algumas a Grindelwald, o filme não possui referências aos filmes anteriores. Ainda bem: como eu disse, fui preparada para o novo. E minhas expectativas não foram apenas correspondidas, mas superadas. 
No final, deixei as lágrimas caírem. Não por algo triste que aconteceu, mas porque tudo aquilo simplesmente significa muito pra mim. Voltar aos cinemas para mergulhar novamente no universo que eu tanto amo é indescritível.

E, se me permitem, eu não poderia terminar de forma mais clichê e mais correta esse texto:



4 comentários:

  1. Me arrepiou!
    Eu também cresci lendo e vendo Harry Potter, incrível como isso ajudou tanto na nossa formação, né?
    Assisti o filme na pré-estréia e também adorei! Mas acho que eu esperava um pouquinho mais, não sei.
    Mas o que foi aquele final? MEU DEUS!

    Beijos, Ana do dia ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Harry Potter me fez uma pessoa melhor, com toda a certeza <3

      O final é INCRÍVEL mesmo Ana!! E fico super feliz que você gostou da minha crítica!

      Super beijo! <3

      Excluir
  2. Oizinho, tudo bem?
    Mds, não sei nem o que te dizer...teu post ficou maravilhoso, eu amei, porque eu sou APAIXONADA por tudo isso ! É um amor tão grande, sério...pela história, pelos personagens e por momentos bons que tudo isso me proporcionou...meus pais amam, a gente sempre se reunia para assistir Harry Potter, (como não moro mais com eles, isso acontece com menos frequencia :c ) os livros eu ganhei deles e eles leram antes de mim...então eu te entendo, entendo que chore, eu choraria...não consegui assistir Animais Fantásticos ainda :c to doente e não posso sair de casa, isso me deixou bem triste...mas logo eu vou assistir, quero muito ! Enfim... eu entendo esse teu amor, entendo mesmo.
    Post perfeito <3
    beijinhos
    http://isah-cerejasvoadoras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isa, seus comentários sempre fazem o meu dia! <3
      Obrigada por me entender e por saber o que é ser apaixonada por esse universo! Preciso de mais pessoas como você perto de mim!
      Vê se melhora logo pra ir assistir, você vai pirar!! Sério, é maravilhoso e você se sente voltando pra sua infância, quando a gente esperava nossa carta de Hogwarts <3

      Grande beijo! :*

      Excluir