27 de fevereiro de 2017

Oscar 2017: meus favoritos!


Várias referências ao querido presidente norte-americano, chuva de tiros de mulheres maravilhosas, apresentações musicais de emocionar e um final marcado por um "pequeno" erro. 
O Oscar 2017 foi de "Can't Stop the Feeling" abrindo a noite até o prêmio mais importante sendo entregue para pessoas erradas por engano. Enquanto eu assistia a esta edição que com certeza vai ficar pra história (infelizmente por maus motivos), fiz uma listinha de pessoas, momentos e prêmios que me deram aqueles gostosos arrepios e que eu gostaria de compartilhar por aqui. Vamos lá! 

- Vestidos: PRECISO destacar estas peças incríveis que deram mais brilho á premiação de ontem. Muito bom gosto de suas respectivas donas!
- Can't Stop the Feeling: minha música favorita do momento marcando o começo da noite. É demais para o meu coração! 
Foto: Getty / Kevin Winter
- Querido Donald: em diversos momentos o apresentador Jimmy Kimmel mencionou as famosas declarações ridículas do atual presidente norte-americano. Ele brincou com o fato de Meryl Streep ter sido chamada de "overrated" (superestimada) e com as acusações ao New York Times por, supostamente, vincular notícias falsas sobre o governo. Porém, Kimmel não teve medo de mencionar Trump diretamente em dois tweets feitos no meio da apresentação. É o famoso rir pra não chorar. Achei genial e fiquei ainda mais feliz de perceber que a grande maioria dos presentes concordavam que tais falas do presidente são, de fato, sem cabimento. 


- Potterheads marcando presença: "Animais Fantásticos e Onde Habitam" ganhou na categoria de Melhor Figurino. Colleen Atwood é a mente por trás das fantasias que garantiu a estatueta de ouro a minha querida saga. Não consigo expressar meu orgulho! Arrasou!

- Quatro estrelas brilhantes: Taraji Henson, Octavia Spencer e Janelle Monáe deram vida às três mulheres do filme "Estrelas Além do Tempo" que tiveram um papel importantíssimo para a Nasa na época da corrida espacial dos EUA contra a Rússia. Juntas, elas formaram o elemento que faltava para a vitória dos americanos... Mas só conseguiram provar isso depois de muito preconceito e desconfiança pela sua cor e gênero. No Oscar, as atrizes brilharam ao apresentar o prêmio de "Melhor Documentário". Mas não foi só isso. Antes do anúncio, a verdadeira Katherine Johnson roubou a cena. Sentada em sua cadeira de rodas, a matemática e verdadeira heroína da história falou pouco ("Thank you very much"), mas seus olhos brilhando diante dos inúmeros aplausos que recebeu disseram tudo o que ela não podia. 

Foto: KEVIN WINTER/GETTY
- How Far I'll Go: apesar de não ter ganhado o prêmio de Melhor Música Original, esta música marcou a noite (pelo menos para mim). A cantora Auli'i Cravalho, de apenas 16 anos, foi perfeita: não desafinou, não desequilibrou e não perdeu a concentração nem quando foi atingida levemente por uma das bandeiras que fazia parte da coreografia atrás dela. Vestido vermelho, voz potente, sorriso sincero e uma música maravilhosa. Ufa! 


via GIPHY

- Atriz coadjuvante: Viola Davis levou o prêmio por sua atuação em "Um Limite Entre Nós". A atriz é a mulher negra com maior número de indicações ao Oscar (três no total). Emocionada, ela deu um show em seu discurso. Destaco a seguinte frase:
"Tornei-me artista, e graças a Deus me tornei, porque somos a única profissão que celebra o que realmente significa viver a vida". 
Foto: BETH HARRIS Associated Press
- De Volta para o Futuro: em um quadro especial desta edição do Oscar, um ator famoso aparecia revendo na tela do cinema cenas de um outro profissional que o inspirou a seguir esta carreira. Para Seth Rogen, foi o ator Michael J. Fox, o Marty McFly de "De volta para o futuro". A dupla apareceu no palco no famoso carro DMC-12 Delorean e apresentaram o prêmio de Melhor Edição. Amo este filme e amei ver os dois juntos! Sou fã demais! 
Foto: Mark RALSTON / AFP
- Homenagem aos que já foram: a maravilhosa Jennifer Aniston foi escolhida para apresentar o vídeo em homenagem a talentos que já faleceram. No final dele, aparece ninguém menos do que Carrie Fisher, nossa eterna princesa Leia. Não tem como não se emocionar. 
- Jimmy Kimmel x Matt Damon: Há 11 anos, o apresentador e o ator mantém uma hostilidade que não existe na realidade, mas que se tornou famosa. Durante a cerimônia, eles "se implicaram" diversas vezes, dando ainda mais leveza para o show. Para mim, o melhor momento foi quando Kimmel "aumentou" o som da banda para não deixar que Damon falasse durante a apresentação do prêmio de Melhor Roteiro Original. 
Foto: Getty
- Jovem talento: Damien Chazelle levou não só a estatueta de Melhor Diretor, mas o título de diretor mais novo a receber o prêmio. Lógico que ele merece um destaque por aqui! 

Foto: Lucy Nicholson/Reuters
- Melhor atriz: por último e não menos importante, a linda e talentosa Emma Stone levou o prêmio de Melhor Atriz por seu papel em "La La Land". Esta foi a sua segunda indicação ao Oscar. Antes, ela havia concorrido como melhor atriz coadjuvante por sua atuação em "Birdman". Emma recebeu a estatueta de Leo Di Caprio, que, com certeza, estava muito orgulhoso por estar aí depois de sua vitória no ano passado (finalmente!). Lindos e maravilhosos! 
Foto: KEVIN WINTER/GETTY IMAGES

via GIPHY

E a grande gafe da história da premiação, vocês me perguntam. Decidi não comentar sobre isso. Vamos deixar este espaço só para as coisas boas desta noite maravilhosa! O que acham?

(Mas que deu uma certa vergonha alheia, isto deu! Mas vida que segue!) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário