1 de março de 2017

Conselhos aos meus colegas escritores


Bloqueio criativo. Duas palavrinhas que assombram os escritores e aspirantes. Dezesseis palavras que resumem a angústia de se olhar para uma página em branco e simplesmente não conseguir preenche-la com nada que seja minimamente significativo. 

Porém, existe uma solução. Com a minha experiência com a escrita reunida até aqui, eu entendi que uma das formas de eliminar este problema é pensar sobre o que pode estar causando o mesmo. E hoje, a origem da minha completa incapacidade de juntar as palavras deve-se ao fato de eu querer conquistar o impossível: escrever sobre algo que ninguém nunca escreveu antes. 

Ok, talvez nem tanto. Eu só queria ser original. Produzir um assunto, um conselho ou uma frase impactante que marcasse de forma positiva esta quarta-feira com carinha de domingo (porque a minha querida folga de cinco dias infelizmente está chegando ao fim). Aí eu pensei, pensei e pensei de novo. Fechei meu notebook. Fui ler um pouco. Fui cuidar de outras responsabilidades. Voltei. A página em branco ainda me esperava, do jeitinho que eu deixei. Eu quase escutei ela falar: "E então?". 

E então que a única coisa que me veio na cabeça nos últimos minutos foi que eu não consigo ser tão original e criativa a ponto de escrever sobre algo tão inusitado quanto eu gostaria. Mas tudo bem. Vamos falar sobre isso. 

Como jornalista, eu quebro a cabeça para pensar em assuntos para fazer minhas notas, notícias e reportagens. Porque não basta ser algo atual, precisa ter algum viés novo, fatos e números que o comprovem e despertar o interesse do público que eu pretendo atingir. Um beijo para quem fala que nosso trabalho é fácil. 

Como escritora, porém, eu esqueço que não existe esta cobrança tão grande. Porque cada escritor possui sua sensibilidade para olhar e tratar um assunto de uma forma diferente de todos os outros. As palavras podem até ser as mesmas, mas a maneira como elas foram organizadas, o momento em que foram compartilhadas e os indivíduos que as leram são únicos.

Assim, falar que "vai ficar tudo bem" pode sim fazer uma grande diferença na vida de alguém que só precisava ler isso no dia de hoje. Aconselhar uma pessoa a se amar mais é muito válido para que ela não esqueça o quanto isso é importante. E um post que começou com as palavras "bloqueio criativo", que estão presente em pelo menos 99% dos blogs de textos que eu conheço, pode se desenvolver de uma forma que leve a dois conselhos um pouco mais originais para meus colegas escritores. Lá vai: 

Saía do óbvio sempre que puder. Mas se precisar falar sobre ele, preencha-o com toda a sua sensibilidade, pois é isto que vai diferenciá-lo de todos os outros óbvios existentes por aí. 

Não deixem de escrever porque a criatividade te escapou. A sua unicidade nunca te abandona. Então, escreva mesmo assim, porque essa é a nossa forma de mudar o mundo. 

6 comentários:

  1. Hey AnaLu!
    Confesso que nunca comentei em um blog e que é a primeira vez que visito aqui, mas neste momento sensível após ler sua opinião sobre o filme " Beleza Oculta" quero te dizer: Obrigada! Por dizer que vai ficar tudo bem, por escrever mesmo quando nada parece ter feedback. Obrigada simplesmente por escrever! Acredito que voltarei aqui, rs. Fique bem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu te agradeço por este comentário feito com tanto carinho, Kassia! Volte sempre que quiser! Continuarei escrevendo independente de tudo, pois a escrita é minha paixão <3

      Excluir
  2. Oi, Ana!
    Adorei o texto. Bloqueio criativo é meu pior pesadelo, pois além de hobbie (o blog), também trabalho na área de comunicação/design. Principalmente sob pressão, parece que tudo piora! hahahaha Uma coisa que me ajuda, é sair dar uma voltinha (quando possível) ou visitar sites diferentes, sem me forçar a achar inspirações.

    Beijos,
    Mayelle ♥ | www.infinitosdetalhes.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mayelle, essa dica é ótima! Às vezes tirar a pressão de ter que encontrar a criatividade é a melhor escolha (quando podemos tomá-la, claro)! Adorei! E fico muito feliz que você tenha gostado, volte sempre para compartilharmos mais dicas <3

      Excluir
  3. Eu passei por um bloqueio criativo sem saber que estava passando por um. Eu tinha sobre o que falar, só não sabia como escrever. Até que um dia resolvi escrever a partir da coisa mais simples que eu tinha, a minha manhã e deu muito certo, assim como deu o seu.
    Realmente dá um medinho,perder o dom da escrita seria uma das piores coisas pra mim, mas já percebeu que o peso desse pensamento parece que torna tudo mais difícil? Nossa. O que é nosso, é nosso, e você tem razão, Aninha, quando diz que a nossa unicidade é de fato UNICA.
    Amei ♥

    www.ultimobiscoito.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sua capacidade de trazer ainda mais sentido para o que eu escrevo é impressionante. Nay. De fato, seria horrível perder este nosso dom, mas não adianta pensar muito nisso e se deixar levar pelo medo! Somos únicas e isso jamais alguém vai tirar de nós <3

      Excluir