25 de julho de 2017

Na teoria


A verdade é que essa história de "felicidade" é relativamente simples. É um grande esquema: se você está feliz, continue assim. Se não está, corra atrás de mudar o que está te machucando. Caso não seja possível fazer nada a respeito, aprenda a seguir em frente mesmo assim. E espere, porque nós, seres humanos, temos uma capacidade incrível de nos adaptar a qualquer coisa. Ou seja, uma hora você nem vai mais lembrar que esse problema existe. 

Soma-se a essas ideias o conceito de tentar ser feliz todos os dias; afinal, a felicidade não é um destino, mas uma maneira de viajar. Certo? Certo. Então, procure não reclamar tanto e encontrar pequenas coisas que façam ter valido a pena acordar de manhã. 

Tudo isso faz bastante sentido. E olhando assim, de cima, parece fácil. Então, por que a gente reclama que é tão difícil ser feliz? 

Porque existe aquelas segundas-feiras que não dá vontade de voltar a rotina por nada no mundo. Porque as pessoas podem ser bem maldosas sem a gente merecer. Porque não é todo dia que acordamos com a maior força de vontade para dar conta das nossas tarefas. Porque, às vezes, perdemos o sentido das coisas. Porque nossas expectativas se frustram muito facilmente. Porque, num piscar de olhos, tudo muda sem antes perguntar se estamos preparados para isso. 

Enfim: porque a vida é um grande caos e nada funciona de forma tão regrada e definida. Mas eu garanto: no meio de toda essa confusão, a sua felicidade está escondida. E, para encontrá-la, muitas vezes temos que tentar seguir a teoria. Da melhor forma que der. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário