28 de fevereiro de 2018

Crises de estimação


Existe uma coisinha, que eu garanto que todo mundo conhece, chamada crise existencial. Ela é o famigerado problema que sua cabeça cria, às vezes por trabalhar de menos, às vezes por trabalhar de mais, e que não possui uma solução exata; por isso, ele tem o poder de te perturbar, tirar seu sono e te angustiar ainda mais do que as reais complicações do dia a dia. E sabe o que é pior? Quando sua mente tão fértil se acostuma a construir estes transtornos, eles nunca mais vão andar sozinhos. Muito pelo contrário: vão andar em bando e, sempre que possível, fazer uma bela sinfonia em conjunto para te atormentar. 

Um cenário deste parece assustador e sem saída, certo? Mas eu garanto que até mesmo para as nossas crises de estimação existe uma saída - pelo menos, uma que eu tentei e vem dando certo. E ela começa com você dando nome aos bois. Ou seja: pegue uma caneta, um caderno qualquer e enumere todas as ditas cujas. Você vai perceber que existem algumas que te acompanham há muito tempo, anos até, e outras recém-chegadas graças às circunstâncias atuais da sua vida. Visualizando assim, de cima, elas vão te parecer mais inofensivas do que quando estão berrando na sua cabeça. 

Além disso, você vai descobrir que, naquele momento em particular, algumas das criaturinhas estão bem quietinhas, na delas, e outras estão sambando e querendo aparecer. Então, qual o segredo? Primeiro, visualizá-las. Segundo, saber como aquietá-las. Terceiro, identificar jeitos de, sempre que possível, deixá-las dormindo. 

Vamos a um exemplo. Uma das suas crises é a sensação de que você nunca vai ser tão bem-sucedido(a) quanto uma amiga sua. Visualizou? Próximo passo: uma boa maneira de aquietá-la é começar a focar mais na sua própria carreira e nos seus planos para o futuro, afinal de contas, o conceito de bem-sucedido está diretamente vinculado aos seus valores e àquilo que você deseja conquistar na sua vida, que não necessariamente coincide com os planos dos outros. Outro jeito é tentar compreender o que a sua amiga tem que te causa tanta inveja, e se você realmente quer isso também. Se não resolver, nada que uma boa noite de sono não cure, ainda que temporariamente.  

Acordou no dia seguinte e a bichinha está quieta? Não mexa em time que está ganhando. Foque nas suas tarefas, ocupe a cabeça, deixe que ela durma. Se for possível, evite olhar as redes sociais ou conviver com aquela amiga só por um tempinho, pelo menos até a crise ficar mais fraca. Vai por mim: nossa cabeça pode ser condicionada para eliminar - ou ao menos diminuir - a presença de pensamentos negativos como este. Mas é um trabalho que exige paciência e muita (mas bota muita) força de vontade. 

Último aviso importante: se nada disso minimizar a angústia de uma das crises, ou de todas elas juntas, procure ajuda mais especializada. Aqui, são apenas conselhos que vem de experiências próprias, ok? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário