19 de fevereiro de 2018

Feliz e nada mais


Você com certeza já ouviu alguém dizer que, nessa vida, não dá tempo de ser nada além de feliz. À primeira vista, esta frase parece carregada de um otimismo nada prático, que não se encaixa no nosso cotidiano de correria, deadlines, chefes implicantes, colegas chatos, tarefas a cumprir e sorrisos falsos para serem distribuídos por aí. Fala sério, como se encontra a felicidade no trânsito infinito depois de um dia cheio no trabalho, em uma atividade monótona ou nas reclamações das pessoas a sua volta que te dão a sensação de que você nunca vai fazer nada direito? De fato, tem horas (muitas delas) que não temos energia suficiente para transformar o esgotamento e a irritação em qualquer sentimento mais positivo, porque nosso cérebro não possui um botão que automaticamente coloca um filtro cor de rosa no nosso dia a dia. 

Mas aquela frase faz sentido se a olharmos de outro ponto de vista. Digamos, de uma perspectiva mais geral e menos detalhista. Pense comigo: nosso tempo na Terra é curto, apesar de ninguém gostar muito de refletir sobre esta mórbida realidade. Então, será mesmo que dá para gastar dez, vinte anos em um emprego psicologicamente desgastante por causa da tão desejada estabilidade financeira? Ou dividir uma vida com alguém que não tem nada a ver com você por culpa da paixão do início da relação, que não te deixou enxergar isso e agora é mais cômodo manter o status social? Vale a pena seguir uma profissão que não faz seus olhos brilharem porque sua família não te deu o apoio necessário para você seguir aquilo que realmente ama?

É normal não ter vontade de sair saltitando toda segunda-feira e não ter saco para encontrar o lado bom de cada situação ruim que você se enfia. É humano não se sentir bem algumas manhãs nubladas. Mas se a angústia perdura, fica o alerta: talvez você esteja perdendo seu valioso tempo com atividades e relacionamentos que não fazem (mais) sentido pra você. Nesse caso, dane-se o excesso de otimismo: enquanto estivermos aqui, temos que fazer o possível pra ser feliz na maior parte dos dias. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário