6 de março de 2018

Autocoaching: a busca pela tal da simplicidade


Recentemente, comecei a investir um pouco do meu tempo no chamado autocoaching. Basicamente, respondo perguntas que me fazem pensar sobre a minha vida com o objetivo de evoluir como pessoa e até mesmo como profissional. Não sou nenhuma especialista no assunto, mas acho legal compartilhar algumas das questões que estou refletindo e tentando responder, assim como alguns insights (acho essa palavra tão chique!) que vão surgindo durante este processo. Quem sabe eu não te influencio a começar também, não é mesmo?

Então, aqui vai uma das minhas primeiras descobertas de autocoaching. Em um dos livros que estou lendo sobre o assunto, a autora propõe a seguinte reflexão: quais são suas virtudes? Pensei: primeiro, preciso saber o que são, exatamente, virtudes. De acordo com o site Significados.com.br, são todos os hábitos constantes que levam o homem para o caminho do bem. Dentro desta ideia, você pode carregar, dentro de você, coragem, respeito, prudência, humildade, temperança e por aí vai.

Foi aí que me deparei com a virtude da simplicidade. Em poucas palavras, a capacidade da descomplicação. Definitivamente, uma que me falta. Por isso, anotei no meu caderninho de autocoaching como um desafio pessoal: tentar não complicar tanto as coisas.

Acho que todo mundo deveria parar pelo menos uma vez por dia para pensar em como a gente tem a mania de deixar tudo muito mais difícil do que realmente é. Damos proporções enormes a questões que deveriam ser fáceis de resolver. Pioramos brigas e discussões. Criamos problemas que não existem (lembra das crises existenciais?). Queremos o caminho mais tortuoso possível. E depois, saímos reclamando por aí que estamos cansados da vida e queremos culpar os outros por isso, sem assumir nossa própria parcela. Alô, necessidade de autocoaching!

Para essa semana, minha proposta é: pesquise também sobre as virtudes e descubra quais delas estão faltando e que você gostaria de começar a desenvolver. Nunca é tarde demais para buscarmos a melhor versão de nós mesmos. Ah, e mais uma coisa: vamos descomplicar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário