26 de março de 2018

Melhor pro mundo

"Quando a gente é feliz, a gente é melhor pro mundo". - Fernanda Souza 

Falar de felicidade sem cair nos clichês é uma tarefa um tanto quanto complicada. Isso porque a gente já ouviu de tudo sobre esse assunto. Mas, veja bem, nem por isso aprendemos a viver melhor. Não é pra menos: ser feliz exige uma dedicação considerável, um treinamento constante para valorizar o que temos de bom e uma prática diária da gratidão - itens que acabam ficando lá embaixo na nossa lista de prioridades. O que a gente não percebe é que, quando esquecemos que nosso bem-estar deve estar sempre em primeiro lugar, nos tornamos péssimas companhias não só para nós mesmos, mas para o mundo. 

Quem é infeliz vive criticando e reclamando. É uma tentativa muitas vezes inconsciente de querer que os outros também sejam infelizes, pois não é justo que todo esse sentimento negativo prejudique só quem o carrega. Na verdade, o que não é nem um pouco justo é querer dividir as nuvens cinzas com quem não tem nada a ver com elas. Portanto, se você perceber que está espalhando muitos sentimentos ruins porque eles já não cabem dentro de você, atenção: este é um indício claro de que vários aspectos da sua vida estão caminhando na direção errada. 

Agora, quando tudo (ou quase tudo, não vamos ser exigentes) está no seu lugar e você carrega, na maior parte do tempo, esse sentimento gostoso chamado felicidade, não tenha dúvidas: o mundo a sua volta fica mais colorido e iluminado. Você sorri mais, agradece mais, abraça e dá carinho, porque quer dividir com os outros as coisas boas que estão pipocando aí dentro. Por isso, antes de começar a colocar sua saúde mental como último item da lista de preocupações, não se esqueça: quando você se cuida e encontra jeitos de ser feliz todo dia, está fazendo um favor não só para si mesmo, mas para o resto das pessoas que vão ser impactadas pela energia que você emana. 

2 comentários: