12 de março de 2018

Tempo de espera

"Não espere esperando. Espere vivendo". 

Todo mundo com certeza já passou por aqueles períodos angustiantes em que se tem que esperar por alguma coisa. Uma resposta para uma entrevista de emprego, um resultado de prova, uma aprovação do visto, um feedback do chefe. Esta espera pode durar horas, dias ou até mesmo semanas. Ou seja: para os ansiosos de plantão, um verdadeiro pesadelo. Ainda mais quando a conclusão deste momento pode impactar, e muito, no futuro próximo.

O problema é que, enquanto nada se resolve, é comum que a gente acabe desperdiçando nosso precioso tempo com pensamentos destrutivos que vão se repetindo em um looping infinito. "E se não der certo? E se eu não for bom ou boa o bastante? E se eu tivesse agido diferente? O que eu vou fazer se o pior acontecer?". Estes e outros inúmeros questionamentos nos rodeiam e nos prendem em uma sala de espera vazia e entediante, onde o único entretenimento é remoer a preocupação, enquanto lá fora o mundo continua a girar e as atividades que podíamos estar curtindo vão se perdendo de vista. E aí que eu te pergunto: vale a pena virar refém da sua própria angústia? 

Assim, não espere esperando. Espere praticando exercícios físicos, lendo, assistindo novas séries, se dedicando a projetos pessoais, meditando, tentando algo novo, pesquisando outras oportunidades, enfim, focando em qualquer coisa que te faça se sentir bem e que não te permita jogar este período da sua vida no lixo. No máximo, arquitete um plano B que vai te dar uma direção caso as coisas não saiam do jeito que você espera. Mas entenda que existem circunstâncias que simplesmente não estão no nosso controle, e uma vez que você aceita isso, consegue lidar muito melhor com estes momentos em que estamos esperando Deus - ou qualquer outra força que você acredite - iluminar nossos próximos passos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário