18 de julho de 2018

Bloqueio e autoconhecimento


Para alguém que ama escrever, poucas coisas são tão angustiantes quanto ter um caderno e uma caneta na mão, ou um novo arquivo aberto do Word, e nenhuma ideia na cabeça. Você sente que precisa do conforto das palavras e daquele alívio de ler um texto que consegue transmitir tudo o que você está sentindo, mas falta criatividade, inspiração e coragem. Sim, coragem, pois escrever é um processo incrível na mesma proporção que é doloroso. 

Nos últimos tempos, esse sentimento de completa incapacidade frente a algo que sempre foi muito natural pra mim estava me acompanhando de perto, me dominando toda vez que eu tentava produzir alguma coisa. Eu sentia que já tinha escrito sobre tudo e que estava urgentemente precisando melhorar meus textos em diversos sentidos, mas não fazia ideia de como. Eu estava tão travada que nem mesmo buscar novos ambientes para escrever ajudou. 

O lado bom desses momentos de angústia é que, independente de qual seja a causa, eles são uma ótima oportunidade de colocar em pratica o autoconhecimento, uma vez que é apenas olhando para dentro de nós, lá naquele lugarzinho que só a gente consegue acessar, que conseguimos encontrar as soluções. Então, foi refletindo em minha própria companhia que encontrei o motivo principal do meu bloqueio criativo: eu estava exigindo muito e fazendo pouco. 

Explico: eu queria que minha escrita evoluísse e, ao exigir um nível que eu sei que ainda não estou preparada, criei um receio de até mesmo arriscar as primeiras palavras, que poderiam sair exatamente como antes. A questão é que não existe evolução sem tentativas, acertos e erros. Sem encostar a caneta no papel, ou os dedos no teclado, ou jamais conseguiria atingir o que eu queria. 

Assim, como quase tudo na vida não dá pra esperar o medo passar para fazer algo, fui com ele mesmo. Em um finalzinho de tarde, abri meu caderninho e, conforme as palavras iam fluindo de mim para o papel, fiz as pazes com a escrita. Rompi a barreira que eu mesma havia criado e percebi como muitas vezes os piores obstáculos que precisamos superar são aqueles que nós acabamos colocamos no nosso caminho. Daí a importância de a gente se conhecer e identificar que tipo de desafio nossa cabeça anda criando que está nos impedindo de correr atrás do que sonhamos. 

2 comentários:

  1. Olá Ana, tudo bem?
    Olha que ao ler seu post me identifiquei bastante. Há alguns meses atrás eu vinha enfrentando esse mesmo bloqueio e estava me sentindo angustiada, pois amo escrever mas não tinha nada em mente, deu uma travada sabe! Daí parei pra pensar no que poderia estar ocasionando isso e percebi que era consequência da minha ansiedade. Eu queria tudo rápido: escrever e publicar, ficava horas procurando editoras e como fazer o livro ser aceito sem nem mesmo ter escrito, olha que paradoxo! Daí entendi que eu precisava deixar as coisas acontecerem no tempo certo e me permiti observar as pequenas coisas do dia-a-dia e a inspiração começou a fluir naturalmente, fiquei muuuito feliz e desde abril estou conseguindo escrever bastante. Então o conselho que tenho pra nós é que tenhamos paciência, vamos liberar a energia acumulada fazendo algum tipo de atividade que movimente o corpo e deixa fluir. Beijos linda e espero que dê tudo certo!

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Monyque! Acho que esse tal de bloqueio acontecesse com todos os escritores pelo menos uma vez na vida, né? Comigo, com certeza não é a primeira nem a última! Mas fico super feliz que você conseguiu identificar o que estava causando o seu e superar esse obstáculo da melhor forma! E amei o seu conselho <3

      Excluir